Papo Sério: a decisão de ter filhos

Bom diaaaaa!!!

Hoje é dia de papo sério mais uma vez. Tenho gostado muito do retorno dessa coluna, de saber da opinião de vocês nos mais variados assuntos e também de expor a minha.
Já falamos por aqui sobre traição x redes sociais e sobre finanças. O papo sério de hoje é sobre maternidade!
Talvez vocês estejam pensando que esse tema não é nada polêmico mas, acreditem, é sim. 
Ainda não comentei por aqui, mas meu marido e eu ainda não decidimos se teremos filhos um dia. E somos muito julgados e condenados por isso. A sociedade em geral simplesmente não aceita que um casal cristão não tenha filhos por opção. E a cobrança começa na nossa própria família!
Acho que filhos são uma benção sim, mas não concordo que a pessoa só conhece a felicidade plena quando se torna mãe. Dizem que eu penso assim justamente por ainda não ter conhecido esse sentimento. Será?



A verdade é que nós (marido e eu) temos muito medo do que o mundo está se transformando. Que mundo iremos deixar para um filho? Um mundo onde não temos nem a certeza de que ele terá água para tomar? Um país em crise, onde se teme o dia de amanhã? São motivos como esse que nos levam a pensar e repensar a questão.
Tem dias que estamos mais otimistas, que conversamos sobre nomes e tal (aliás, Breno é o único nome que chegamos a um acordo...rs). Mas também temos muito medo de perder a liberdade que temos hoje, entendem?
Enfim, como já disse, ainda não temos uma opinião totalmente formada sobre isso. A única certeza que temos é que o relógio biológico está correndo e teremos que decidir, pois não pretendemos ter filho após os 32 anos. É esperar para ver. Mas respeito a opção de quem decide não ter filhos e não julgo.
E vocês, acham inaceitável essa posição?

Beijos

8 comentários:

Giovana Souza disse...

Concordo com vc na questao do medo do futuro ... N enxergo o filho como regra na sociedade ... Mas sao raizes suas que deixará aqui nesse plano. Eu e marido pretendemos encomendar o nosso ano que vem!

Milla disse...

Niquinha, eu acho sim um tema polemico sim..rsrsrs
1º Segundo a bíblia o homem e a mulher se casam para procriar...
2º Eu acredito que cada um tem seu livre arbítrio e está livre para tomar a decisão de não ter filhos e não vejo problema nenhum nisto.
3º Eu quero muito ter filhos, e pretendo o ano que vem começar a tentar pois já tenho 32 anos e o marido 27, a pesar de está "velhinha" as mulheres estão engravidando cada vez mais tarde hoje em dia, e a minha médica disse que tudo bem.(tanto que a 1ª gravidez não passe dos 35 anos)
4ª Eu prefiro nem pensar na questão do mundo se não desisto do meu sonho de ser mãe.

Amo o nome Breno...e lindo!!
Deus te abençoe na sua decisão independente de qual seja!O importante é ser feliz!
Desculpa o comentário gigante.

Beijinhos,
http://issoeoqueamo.blogspot.com.br/
@myla.barbosa

Erika Freitas disse...

Olá Mônica, que papo cabeça hein?
É a primeira vez que entro no seu blog, e amei a sua expressão! hahahaha
Eu super aceito a opinião dos outros em relação a poder optar em ter ou não um bebê. Acho que hoje em dia as mulheres são realizadas sim com outras coisas, além da maternidade. Não precisamos ser mães para sermos completamente felizes.
Eu com os meus 26 anos tenho a absoluta certeza de que não quero filhos!!!
Sou casada, e o meu marido também compartilha da mesma ideia. Acho que quando em um relacionamento os dois estão de acordo fica mais fácil. No entanto sempre deixei claro a minha opinião, isso antes de começarmos a namorar, e ele sempre concordou.
O mais difícil é lidar com a cobrança da família, que ao sair da igreja já estão perguntando quando vem o bebê! é chato pra caramba, mais aprendi a dizer uma frasesinha do filme "sex and the city" hahahahha - Adoramos crianças, mais não são pra nós! hahahah
Beijos

Cris disse...

Eu acho que cada um sabe onde o calo aperta... e também acredito no instinto materno... se ele te tocar não tem quem segure... aconteceu comigo quando me disseram que teria dificuldades para engravidar... ainda não sou mãe mas meu maior sonho é este... Eu acho que no fundo no fundo vcs querem só o medo ainda não deixou... quanto o mundo do jeito que está... se formos pensar assim acho que nem viveríamos, pois sempre foi assim...
Mas respeito seu ponto de vista...
Bjos

MARI disse...

Eu não julgo também... acho que as pessoas tem o direito de escolher, afinal, é uma decisão que mudará sua vida para sempre. Eu, apesar de todos os medos "normais" como esse que vc citou, entre outras coisas que escutamos por aí, mesmo assim eu pretendo sim ter filhos. Acho que um filho deve ser sim uma das coisas mais lindas da vida... é um serzinho que cresce dentro de você e depende de você para tudo, deve ser maravilhoso. E outra.... conheço pessoas que não tem filhos e vou te contar.. é tão triste. Enquanto se é jovem tudo é lindo, saimos, curtimos adoidado. Mas depois na velhice é bem triste pra falar a verdade. Mas isso é minha opinião!!
Bjs e boa sorte, é um caso a se pensar.

Náthali Nunes disse...

A escolha de ter ou não ter filhos é complicada.
A dois meses de ter meu filho ainda me sinto assustada com as mudanças que virão.
Quando comentei sobre uma vida sem filhos no trabalho todo mundo achou absurdo.
A decisão é individual, casar, ter filhos não é regra, os tempos mudaram.Decidi encarar por ter medo de me arrepender e ser tarde.

Bjus!

Renata Munck disse...

Mônica,somos cobrados sempre!Se não namora,precisa namorar.Se namora,precisa casar.Se casa,precisa ter filhos.
Eu sempre quis ser mãe,não sou ainda ,mas meu relógio biológico já está aos berros.Meu marido também quer ser pai,minha mãe quer ser avó...
O mundo?Ah,nesse eu nem penso,se for pensar,nem de casa eu saio!
Mas cada um tem o direito de escolher,e eu não acredito que só serei feliz se quando for mãe,ser mãe vai complementar...

Beijos!

Suellen Machado disse...

Eu não acho esse tipo de pensamento inaceitável, até pq eu sempre bati pé de que nunca ia querer filhos, de que jamais seria mãe, tinha aversão a maternidade. Depois que casei essa ideia já não me pareceu mais tão absurda e se fomos olhar o que diz a Bíblia essa nossa ideia é errada, afinal Deus nos deu a missão de multiplicar. Mas ele tbm nos deu o livre arbítrio, ou seja você e seu marido em comum acordo que devem decidir se terão ou não filhos, mas tem de haver concordância. Agora, sobre a questão de que só se conhece a felicidade plena quando se é mãe, vou falar por mim, isso é vdd, não digo nem felicidade, mas o amor pleno, Pedro nem nasceu e eu já virei leoa, choro e tudo de pensar em como seria minha vida se não pudesse gerar, estou vivendo um momento mágico e toda vez que o sinto mexer fico me sentindo uma idiota por lembrar das tantas vezes que disse que não queria ser mãe. Agradeço a Deus por nunca ter levado minhas palavras a sério e me dar esse previlégio.

http://www.morenaemoderna.com/